Informações Médicas

As informações contidas neste site não substituem a consulta ao médico Ginecologista. Consulte seu médico sempre que necessitar esclarecimento sobre este e outros métodos contraceptivos

OPTIMA DIU TCu 380A - Dispositivo Intra-Uterino de Cobre

Apresentação

Descrição

De que modo o DIU OPTIMA TCu 380A atua como contraceptivo

Eficácia

Taxas de Continuação

Ausência de efeito contraceptivo após a remoção do OPTIMA DIU TCu 380A

O que seu Médico Ginecologista deve saber sobre você

Cuidados

Como o OPTIMA DIU TCu 380A é inserido e removido

Verificando o seu OPTIMA DIU TCu 380A

Visitas de acompanhamento ao Médico Ginecologista

 

Apresentação

O OPTIMA é um contraceptivo intra-uterino com cobre amplamente testado nos Estados Unidos e em outros países. O OPTIMA é o modelo mais avançado de DIU com cobre e tem sido aprovado para uso clínico em praticamente todo o mundo.

O OPTIMA é apropriado para mulheres que desejam um método anticoncepcional reversível e de longa duração.

Descrição

O OPTIMA é um contraceptivo que contém cobre e é inserido no útero para evitar a gravidez. O corpo do DIU é formado por um T flexível de polietileno, sendo a haste do T enrolada com fio de cobre e cada braço do T leva um cilindro de cobre. Dois fios brancos de polietileno exteriorizam-se através do canal cervical com comprimento de 2 a 3 cm, para indicar a presença do OPTIMA e para facilitar sua remoção.
 

De que modo o DIU OPTIMA TCu 380A atua como contraceptivo

O efeito contraceptivo do DIU é obtido através da liberação contínua de cobre dentro da cavidade uterina. O cobre interfere no número e no transporte de espermatozóides, e dificulta a movimentação do óvulo através da trompa, impedindo a fecundação (encontro do óvulo com o espermatozóide). O OPTIMA não evita a ovulação e não causa aborto.

Eficácia

A taxa de gravidez em mulheres que usam o DIU ininterruptamente por um ano é menor do que 1%. Isto quer dizer que, de cada 100 mulheres que usam o DIU por um período de um ano, menos de uma ficará grávida.
Tabela 1 - Eficácia dos métodos anticoncepcionais em uso rotineiro e em uso correto e consistente (por 100 mulheres/ano)

Método
Uso correto e consistente
Rotineiro
Nenhum
85
85
Contraceptivos orais
- Combinado de baixa dose
- minipílula na lactação
0,1
0,5
6 - 8
1
DIU TCu 380A 0,6 0,8
Condom 3 14
Diafragma com creme ou geléia espermicida 6 20
Só espermicidas (espuma, cremes, geléias, e supositórios vaginais) 6 26
Abstinência periódica (todos os métodos) 1 - 9 20
Injetáveis trimestrais 0,3 0,3
Injetáveis mensais 0,1 0,3
LAM (seis meses) 0,5 2
Condom feminino 5 21
Esterilização feminina 0,5 0,5
Esterilização masculina 0,1 0,1

Fonte: Adaptado do livro “The Essentials of Contraceptive Technology”, Johns Hopkins
Population Information Program, 1998
* Newton, J.R. J. Obstet. Gynaecol, 1994.
 

Taxas de Continuação

As usuárias de DIU continuam usando o método durante muito mais tempo do que as usuárias de outros métodos anticoncepcionais reversíveis. A taxa de continuação em um ano é de aproximadamente 86 por 100 usuárias.

A freqüência de encerramentos por gravidez e infecção é muito baixa. Outras causas para descontinuação do DIU são razões pessoais, como o desejo de gravidez.

Ausência de efeito contraceptivo após a remoção do OPTIMA DIU TCu 380A

Após a interrupção do uso do OPTIMA seu efeito contraceptivo cessa. Quando removido, a mulher pode engravidar tão rapidamente quanto uma mulher que não usou o DIU.

O que seu Médico Ginecologista deve saber sobre você

Antes de ter inserido o OPTIMA DIU TCu 380A, é de sua responsabilidade informar inteiramente ao seu médico ginecologista seu histórico médico passado. Comunique ao seu médico ginecologista se você teve, suspeita que teve ou tem disfunção coronariana, metabólica ou uterina.

Cuidados

Se você tem o OPTIMA DIU TCu 380A inserido, comunique ao seu médico ginecologista imediatamente qualquer um dos seguintes casos, se ocorrer:

1. Falha da menstruação.
2. Hemorragia ou corrimento vaginal anormal ou inexplicável.
3. Atraso menstrual seguido de fluxo escasso e irregular.
4. Dor na pelve ou na parte baixa do abdome ou cólicas ou febre inexplicável.
5. Descoberta de Doença Sexualmente Transmissível (DST). O uso do OPTIMA não evita DST.
6. Feridas ou lesões genitais, ou febre com corrimento vaginal.
7. Hemorragia menstrual grave ou prolongada.
8. Desaparecimento dos fios de polietileno ou dores durante a relação sexual.

Como o OPTIMA DIU TCu 380A é inserido e removido

Antes da inserção, seu médico ginecologista fará um exame pélvico. Seu objetivo é determinar o tamanho, forma e posição do útero.
O colo e a vagina serão limpos com uma solução anti-séptica.
O médico ginecologista introduzirá o OPTIMA DIU TCu 380A em menos de 5 minutos.
Caso deseje remover o OPTIMA, consulte o médico ginecologista .
Tão logo o OPTIMA seja removido o efeito anti-concepcional cessa.

Verificando o seu OPTIMA DIU TCu 380A

Para certificar-se que o OPTIMA está na posição correta você pode fazer o auto-exame.
Procedimento para o AUTO EXAME

1. Lave as mãos.

2. Agache-se ou sente-se no vaso sanitário.

3. Introduza o dedo indicador ou médio profundamente na vagina e localize seu colo; ele pode ser sentido como a ponta de seu nariz.

4. Sinta os fios do OPTIMA. Se você consegue tocar os fios, o OPTIMA provavelmente está no lugar certo. Você não deve puxar os fios, pois se o fizer poderá deslocar o OPTIMA.

5. Se você não puder tocar os fios, ou tocar o próprio DIU, provavelmente ele deslocou-se do fundo uterino.
Procure o médico ginecologista para fazer um Exame.

Visitas de acompanhamento ao Médico Ginecologista

1. Recomenda-se o retorno ao médico ginecologista, três meses após a inserção
2. O OPTIMA é de longa duração. O médico ginecologista informará a data oportuna para a substituição ou remoção.
3. O OPTIMA permite o uso regular de ducha e tampões.

 

voltar

 

© Copyright 2001-2006 - Injeflex Ind. e Com. Ltda - Todos os direitos reservados.